Um Debussy fora do padrão

Um Debussy bem diferente é o que oferecem dois CDs da etiqueta inglesa Cala intitulados Engulfed Cathedral e Night in Granada. É que, neles, a Philharmonia Orchestra regida por Geoffrey Simon mostra – além de uma série de originais – várias orquestrações de peças que o compositor inicialmente destinou ao piano.

Claude Debussy (1862-1918), bem se sabe, foi um dos orquestradores mais peculiares de toda a história da música. Partindo de uma sinfônica normal, à qual acrescentou poucos instrumentos, foi capaz de transformá-la em um meio sonoro novo, em um cintilante gerador de timbres inéditos. Sua produção orquestral, começando por Prelúdio à tarde de um fauno, de 1894, é de uma extraordinária originalidade. Os dois discos reúnem algumas de suas obras-primas no setor, como O Mar, Noturnos e Rapsódia para clarinete e orquestra.

Debussy foi também um revolucionário ao piano, no qual amadureceu mais tarde que Ravel. E, diferentemente desse seu colega mais jovem, praticamente nunca transportou para a orquestra o que havia imaginado para o teclado. Encantados com as possibilidades sinfônicas de suas peças pianísticas, músicos de várias gerações “traduziram-nas” para o aparato sinfônico.

Com uma paleta de cores fortes, no gênero fauve, Leopold Stokowski instrumentou A Catedral submersa e Noite em Granada. Já o compositor australiano Percy Grainger fez duas experiências notais em torno de peças de Debussy. Orquestrou Brumas à maneira impressionista e transformou Pagodes em algo próximo ao gamelão javanês.

Mais preso ao modelo debussista foi Bernardino Molinare em A ilha feliz, que dá a impressão de ser um movimento que Debussy não incluiu em La Mer. A delicadeza de Henri Mouton diante dos dois Arabescos, o refinamento de William Gleichmann em A moça dos cabelos de linho, o tato com que Henri Busser tratou a Pequena suíte e o carinho que André Caplet dedicou ao Cantinho das crianças também estão nesse capítulo de orquestrações. Aí brilha especialmente a imaginação entre basca e oriental de Ravel em Dança – tarantela estiriana.

Engulfed Cathedral

  1. Préludes, L. 125: X. La cathédrale engloutie (arr. Stokowski)
  2. L’Isle Joyeuse, L. 109 (arr. Molinari)
  3. Deux Arabesques, L. 74 (arr. Mouton): I. Andantino con moto
  4. Deux Arabesques, L. 74 (arr. Mouton): II. Allegretto scherzando
  5. La Mer, L. 111: I. De l’aube à midi sur la mer
  6. La Mer, L. 111: II. Jeux de vagues
  7. La Mer, L. 111: III. Dialogue du vent et de la mer
  8. Préludes, L. 131: V. Bruyères (arr. Grainger)
  9. Danse, L. 77 (Tarantelle Styrienne) (arr. Ravel)
  10. Children’s Corner, L. 119 (arr. Caplet): I. Dr Gradus ad Parnassum
  11. Children’s Corner, L. 119 (arr. Caplet): II. Jimbo’s Lullaby
  12. Children’s Corner, L. 119 (arr. Caplet): III. Serenade for the Doll
  13. Children’s Corner, L. 119 (arr. Caplet): IV. The Snow is Dancing
  14. Children’s Corner, L. 119 (arr. Caplet): V. The Little Shepherd
  15. Children’s Corner, L. 119 (arr. Caplet): VI. Golliwogg’s Cake-Walk

Night in Granada

  1. Night in Granada (arr. Stokowski) 6:33
  2. Clair de Lune  5:05
  3. Pagodes (arr. Percy Grainger) 5:31
  4. The Girl With the Flaxen Hair (arr. William Gleichmann) 3:15
  5. Nocturnes:   I. Nuages 8:13
  6. Nocturnes:  II. Fêtes 6:12
  7. Nocturnes:      Sirènes  10:22
  8. Première Rapsodie :  8:48
  9. Petite Suite: (arr. Henri Busser) En Bateau  3:43
  10. Petite Suite: (arr. Henri Busser) Cortège  3:01
  11. Petite Suite: (arr. Henri Busser) Menuet  2:55
  12. Petite Suite: (arr. Henri Busser) Ballet  3:05

  • Publicação: Jornal da Tarde (São Paulo / SP – Brasil)
  • Data: Sexta-feira, 02 fevereiro 2001
  • Título: Um Debussy fora do padrão

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *