Especiarias barrocas, por Edmundo Hora

Edmundo Hora, o aristocrata do cravo no Brasil, acaba de lançar um compactdisc de produção independente, requintado ao extremo. Todo ele é dedicado à tocante música do compositor barroco alemão Johann Jakob Froberger (1616-1667), uma das grandes figuras de sua época.

Respeitado pela pequena e exigente comunidade que, no Brasil, se dedica à interpretação da música antiga, Edmundo Hora é um grande artista. Especializou-se no país-chave dessa gama do repertório, a Holanda. Depois de ter passado ali nove anos, retornou em 1993, desenvolvendo aqui um importante trabalho como instrumentista e professor.

Edmundo Hora tem uma enorme familiaridade com o instrumental utilizado na era barroca, notadamente com o órgão, o cravo, o clavecímbalo e o fortepiano. Nesta gravação, emprega um refinado cravo construído em 1990, na Holanda, cópia de um instrumento berlinense do início do século 18. Utiliza uma afinação especial, o “temperamento desigual construído com bases históricas” pelo próprio intérprete.

Dono de grande sutileza no toque, Edmundo Hora consegue, a um só tempo, fazer cantar a melodia e transformar em rendado perceptível o complexo jogo do contrapor várias vozes simultaneamente, a polifonia. Tem, igualmente, uma notável flexibilidade rítmica, que dá uma vida especial àquilo que ele toca. E, estilisticamente, ele é a própria adequação em termos de bom gosto.

O que nos restou de Froberger encontra-se essencialmente em 20 suítes para teclado. Alemão de Stuttgart, ele viajou bastante – Áustria, Itália, França e Inglaterra –, colhendo nesses países elementos que sintetizou em seu estilo cosmopolita e pessoal, ainda que um tanto conservador. Tornou-se um dos primeiros tecladistas a reunir peças em sequência (em suítes) e um dos pioneiros da música programática, aquela que deseja espelhar sentimentos e acontecimentos extramusicais.

São especialmente comoventes suas “Lamentações”, compostas a partir da morte de soberanos e amigos ou de acontecimentos pessoais, como o roubo do qual foi vítima ao atravessar o Canal da Mancha. Essas súplicas altamente expressivas concretizam, sob ângulos diversos, a famigerada “melancolia” que, com frequência, tomava conta da alma do compositor. Conotam uma espécie de tristeza com garbo um tanto distante do nosso contemporâneo “baixo astral”.

Johann Jakob Froberger
Edmundo Hora, cravo
1. Lamentation em sol menor
2. Toccatta IX em dó maior anno 1656
3-6. Suite VI em dó maior
7. Lamentation em fá menor
8. Toccatta XXIV em lá menor
9-11. Suite XXX em lá menor
13. Toccata III em sol maior
14. Capriccio VIII em sol menor
15. Tombeau em dó menor
16. Fantasia VII em sol
17. Carta sobre a morte de Froberger
Andréa Mendez, voz
18-21. Suite XX em ré maior

 


  • Publicação: Jornal da Tarde (São Paulo / SP – Brasil)
  • Data: Sexta-feira, 23 de junho de 2000
  • Título: Especiarias barrocas, por Edmundo Hora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *