Um dos mais belos CDs do século: Chopin por Zimerman

O polonês Krystian Zimerman formou uma orquestra com músicos poloneses apenas para gravar dois concertos para piano compostos por Frédéric Chopin na juventude.

O pianista polonês Krystian Zimerman quis fazer uma homenagem pessoal ao seu compatriota Frédéric Chopin (1810-1849). Não contente em ter ganho o Concurso Chopin de Varsóvia, em 1975, nem em ter gravado obras do mestre que colocaram o seu nome entre os dos principais intérpretes do final deste século, ele pensou em um megaprojeto.

Controle completo
Zimerman decidiu gravar, uma vez mais, os dois Concertos para Piano e Orquestra que Chopin havia composto na juventude. Mas o intérprete queria ter controle completo sobre o projeto. Assim, foi até a Polônia e, depois de examinar centenas de candidatos, escolheu oitenta deles para integrar a sua Polish Festival Orchestra.
Todos os instrumentistas foram contratados em tempo integral e receberam o aviso de que os ensaios poderiam durar dias inteiros. A homogeneidade da formação e a língua comum determinaram a escolha dos músicos poloneses.

Casas lotadas
Depois de meses de ensaio, Krystian Zimerman e sua orquestra fizeram uma turnê pela Europa e pelos Estados Unidos, com casas lotadas e recepção para lá de calorosa. O caríssimo projeto previa a gravação dos dois consertos para a etiqueta Deutsche Grammophon, algo que foi realizado no Auditório Giovanni Agnelli, em Turim, na antiga fábrica de automóveis Fiat.
Por causa da longa duração de cada concerto – 46 minutos para o 1.º, 35’44” para o 2.º –, a gravadora lançou a versão de Zimerman em álbum duplo.
Alguns críticos já estão classificando esse álbum como um dos mais belos do século.

Pianista revela um compositor ainda mais genial
Até agora, sempre se considerou o compositor Frédéric Chopin um mau orquestrador. Um simples jovem inábil que havia colocado um banal acompanhamento orquestral para dar apoio ao solista de piano de seus dois Concertos.
Sem exceção, os regentes trataram a instrumentação do compositor polonês como fruto de um amador. E, deste modo, jamais deixaram de acentuar seus “erros”.

Dublê de regente
A escuta do álbum em que, do piano, Krystian Zimerman rege o Polish Festival Orchestra leva à reconsideração deste preconceito. O solista e dublê de regente nos faz apreciar, pela primeira vez, a beleza e a riqueza da orquestração chopiniana.
Antes de mais nada, Zimerman detém-se sobre cada figura instrumental, colocando-as em cena sob uma iluminação transfiguradora. Por meio de seu trabalho, a orquestra nos dois Concertos Para Piano e Orquestra de Chopin passa a ser uma maravilhosa extensão do teclado. Ela segue o solista de maneira mágica, respirando com ele, acelerando ou retardando o andamento, como se ele próprio surgisse do teclado. E tudo é realizado com magistral sutileza, enfatizando, ora o aspecto camerístico, ora o aspecto sinfônico da orquestração.

Gênio maior
O Chopin revolucionado de Krystian Zimerman torna o compositor um gênio ainda maior do que aquele que a tradição nos legou.
Silêncios, longas pausas e cintilantes arroubos nos presenteiam com um compositor reimaginado, forte, e também moderno.
E o amor que o pianista-regente sente pelas duas obras evidencia-se por meio de um fluxo sonoro que é, numa palavra, suntuoso.
Não há dúvida: este é um dos mais belos discos do século 20. Sobretudo por dar ao público ouvinte uma visão inédita destas obras de Frédéric Chopin.


  • Publicação: Jornal da Tarde (São Paulo / SP – Brasil)
  • Data: Domingo 16 de janeiro de 2000
  • Título: Um dos mais belos CDs do século: Chopin por Zimerman

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *