Ele escreveu canções às centenas

Gershwin é o Schubert do século 20. Foi assim que um dos mais exigentes compositores de nosso tempo, o austríaco Arnold Schoenberg (1874-1951), definiu o espírito criativo do seu colega norte-americano, de ascendência judaica como ele.

Tanto Schubert quanto Gershwin deixaram obras tão cativantes que dão a impressão de terem jorrado de uma fonte natural. Por outro lado, ambos foram imbatíveis no domínio da canção, que escreveram às centenas, sempre de maneira deliciosamente inspirada.

Nascido pobre, tendo uma educação musical precária, Gershwin acabaria por se tornar um dos músicos mais populares e ricos de seu tempo. Começou tocando piano para os clientes de uma editora de música. A partir de 1916, pôs-se a escrever suas canções e estreou na Broadway em 1919 – La La Lucille. Participou de cerca de 30 musicais, entre eles: Oh, Kay! (1926) Strike up the Band (1927), Funny Face (1927), Girl Crazy (1930) e Of Thee I Sing (1932).

Além das canções de seus musicais, Gershwin deixou dezenas de outras que vão de Making of a Girl (1916) a Just Another Rhumba (1937), Dixie Rose (1921), The Man I Love (1924), Feeling Sentimental (1929) e By Strauss (1956). Teve a seu dispor alguns dos melhores letristas da época, mas seria com o irmão Ira que George comporia seus sucessos permanentes.

É claro que Hollywood não ia deixar escapar essa fonte de sucessos. Assim, a partir de Delicious (1931), sua música seria levada às telas muitas vezes. Algo que continua ocorrendo. Mas Gershwin queria mais. Desejava ser reconhecido pelo público das salas de concerto e de ópera. Rhapsody in Blue (1924), An American in Paris (1928) e Cuban Overture (1932), entre outras, apontam para o seu lado “sinfônico”. E sua folk-opera Porgy and Bess (1935), uma das primeiras e ousadas tentativas de criar um espetáculo operístico genuinamente americano.

Não tendo formação erudita nem sendo exatamente um músico de jazz, Gershwin criou o seu espaço, concebendo canções tão requintadas que se tornaram “clássicas”. Foi ainda um pianista fenomenal.

Em George Gershwin Songbook, 18 de suas canções receberam deslumbrante revestimento pianístico. Apenas esse álbum seria suficiente para colocá-lo entre os grandes músicos da primeira metade deste século.

O que Schoenberg percebeu nele continua a nos encantar. Em Gershwin há melodias originais e imprevisíveis. Há harmonias requintadas. Os múltiplos ritmos que empregou, continuam a fazer o coração dançar, para sempre. É terrível pensar que, dentro daquele cérebro privilegiado, brotou um tumor que o matou aos 39 anos.

 

Gershwing Songbook

1-     S’Wonderful  George Gershwin 1:06
2-     Clap Yo’ Hands  George Gershwin  0:59
3-     Do Do Do  George Gershwin  1:30
4-     Sweet and Low Down  George Gershwin  1:18
5-     Fascinatin’ Rhythm  George Gershwin  1:12
6-     That Certain Feeling  George Gershwin  1:19
7-     Do It Again  George Gershwin  1:47
8-     Liza  George Gershwin  2:31
9-     I Got Rhythm  George Gershwin  1:59
10-  Nobody But You  George Gershwin  0:56
11-  Oh, Lady Be Good  George Gershwin  1:13
12-  Loves Me  George Gershwin  1:27
13-  Who Cares  George Gershwin  2:18
14-  Swanee  George Gershwin  0:55
15-  I’ll Build A Stairway  George Gershwin  1:00
16-  My One and Only  George Gershwin  1:08
17-  The Man I Love  George Gershwin 2:23
18-  Strike Up the Band  George Gershwin  1:25

 

Gershwin Collection

1-     Cuban Overture George Gershwin 11:20
2-     Preludes (3) for piano George Gershwin 7:01
3-     An American in Paris, film score (Gershwin works arr. by Saul Chaplin, et al.)[Excerpt] George Gershwin 6:48
4-     Rhapsody in Blue, for piano George Gershwin 15:09
5-     Second Rhapsody, for piano & orchestra (“Rhapsody in Rivets”) George Gershwin 13:24
6-     Promenade, for piano or orchestra (arrangement of “Walking the Dog” from Shall we Dance, film) George Gershwin 2:35
7-     I Got Rhythm, song (from Girl Crazy, 1930) George Gershwin 1:15
8-     Concerto in F, for piano & orchestra Allegro agitato George Gershwin 6:38
9-     O, Land of Mine, America, song George Gershwin 5:25


 

  • Publicação: Jornal da Tarde (São Paulo / SP – Brasil)
  • Data: Quinta-feira, 07 de janeiro de 1999
  • Título: Ele escreveu canções às centenas
  • Autor: J.Jota de Moraes

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *